La Maison Mére, Paris – Bacon Cheeseburger – “Quem não tem crépe, caça com burger”.

Receita: Hambúrguer, queijo cheddar, bacon, picles, tomate, cebola roxa, pão do tipo brioche.
Valor: €17,00
Acompanhamento: Fritas

Experiência 3 estrelas

Domingo, 10 de janeiro de 2016. Após uma manhã meio chuvosa passeando por Montmartre, Paris, chega a hora do almoço. Ok, do MEU almoço, já que era 1 da tarde e nem todos almoçam neste horário. Mas depois de tanto sobe e desce (quem já foi a Montmartre sabe), a fome bateu. Na noite anterior, havia perguntado no hotel onde poderia comer um bom burger em Paris. A simpática francesinha da recepção havia me recomendado uma tal hamburgueria perto da Estação Blanche de metrô.

Disse que adorava o hambúrguer de lá e que era considerado um dos melhores da cidade. Como não sou besta nem nada, fui pesquisar na net e encontrei basicamente só elogios ao lugar. TOUCHÉ!! Era ali mesmo que iria . La Maison Mére.

Cheguei lá por volta das 13:15. Lugar pequenininho, bem aos moldes europeus, mas com um ambiente bem Yankee. Mesas coladinhas umas às outras. Encanamento à vista. A decoração emulava aqueles barezinhos hipsters de New York. Well, ok…

não sou nenhum expert nem nada, mas não sei por quê, me deu a sensação de um desejo de hipster wannabe. Estava cheio – bom sinal. Dei sorte porque no momento que entrei, um casal vagava uma mesa. Mal sentei, chega o simpático rapaz com o menu “Bonjour, monsieur”. “Bonjour. Parlez vous anglais”? “Certainly, sir”! Opa, começamos bem!.foto7

Li o enxuto menu e veio a primeira decepção: não encontrei nada assim muito diferente. O lugar é francês, em Paris, a pegada é New Yorker mas não havia as opções inusitadas no cardápio. Decidi to play safe e pedi o bom e velho Bacon Cheeseburger.

foto6

foto8Vamos ao hamburguer

O bom (ou mau) de se pedir um clássico é o fato de que você já tem a referência. O que fugir daquilo pode glorificar ou arruinar o seu burger. Neste caso, a segunda hipótese foi a que valeu.

Começando pelo acompanhamento, as fritas vieram sequinhas e saborosas. Nota-se que a batata era de boa qualidade. Acho que não é a toa que fritas levam o nome de French Fries – que nos perdoem os belgas. Em contrapartida, a maionese da casa estava meio sem sabor – que lhes ensinem os belgas!!!

foto3

Mas, vamos ao burger. O sanduíche veio “desconstruído” – adoro esta palavra!! (me faz parecer inteligente – hahaha). O picles, o tomate e a cebola ficam a parte. O pão brioche estava delicioso – claro, é feito na França. Mas não estava quente e nem veio selado na manteiga. O queijo cheddar… poxa, estamos na França, moçada. Sejam criativos. Tanto queijo bom nesta terra e vocês usam um cheddar inglês de terceira categoria? Faça me o favor!! Quanto ao mais importante, o burger, mais uma vez, percebi a ótima qualidade da carne, mas também a inépcia em se fazer um burger.

foto4

Pedi que ele fosse feito a ponto pra menos. Ele veio sem tempero, no ponto errado, meio farelento, sem sabor. Caraca, que decepção. Havia comido tantos steaks tartares nos dias anteriores, um melhor que o outro… será que em Paris o problema começa quando a carne deixa seu estado cru?

ponto

 

Ponto positivo para o vinho da casa. Obviamente, não dá pra errar num vinho francês. No entanto, esta hamburgueria parisiense me faz corromper e parafrasear aquele velho ditado: “em terra de crépe, quem faz um bom burger é rei”


 

NOTALAMAISON

 

4 Rue de Navarin, Paris

Marcus Baldini

Acadêmico viciado em Hamburger

Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *